8 erros que você não pode cometer ao abrir a sua empresa

0

Empreender é uma experiência fascinante. É aquele momento em que você passa a ser o seu próprio patrão, se dedica a fazer algo que ama e, claro, passa a ter mais responsabilidades.

E na correria que é abrir a própria empresa, erros iniciais acontecem. Mas, se em alguma escala eles são inevitáveis, ao menos você pode evitar aqueles mais graves, que podem comprometer o funcionamento do empreendimento.

Logo abaixo, listamos os oito erros mais comuns cometidos pelos empreendedores e que você pode escapar:

8 erros que você não pode cometer

1 – Não criar um plano de negócios

Na empolgação de abrir nosso empreendimento, muitos empresários acabam por não priorizar seu plano de negócios, tocando sua empresa no dia a dia sem saber o que fará a médio e longo prazo. Trata-se de um erro que pode ser fatal.

Quando abrir sua empresa, é essencial que o empreendedor tenha um plano de negócios bem definido. Claro que não precisa ter o tamanho de uma lista telefônica, mas precisa trazer alguns pontos essenciais bem definidos, como metas de curto, médio e logo prazos a serem cumpridas, quais serão os custos fixos e variáveis, os diferenciais do seu produto, alocação de recursos, quantas pessoas serão necessárias na companhia, entre outros detalhes.

2 – Não ter em mente quem será o seu cliente

Um dos erros dos empreendedores menos experientes é achar que todo mundo é um cliente em potencial do seu produto ou serviço. Com isso, sua política de divulgação funciona na filosofia da “metralhadora giratória”, atirando para todos os lados e, na maioria das vezes, sem colher os resultados esperados, já que o foco mandou lembranças nessa estratégia.

Sendo assim, procure entender quem é o cliente em potencial do que você tem a oferecer (o que ele procura, do que ele gosta, quais os defeitos ele enxerga na concorrência, etc), quais as épocas de maior demanda por seu produto e se planeje para atendê-las com eficiência. E, claro, direcione sua estratégia de divulgação no público potencial que esteja alinhado às características do que você oferece.

3 – Não analisar a concorrência criteriosamente

Analisar a concorrência não é apenas saber quantas empresas concorrem com você, se elas estão na mesma região do seu negócio e qual a sua participação de mercado. Para oferecer um produto ou serviço de forma eficiente, você precisa estudar seus competidores a fundo.

Logo, procure saber em detalhes os pontos fortes e fracos deles (se for o caso, vire um cliente deles por tempo determinado), o que os clientes e/ou consumidores falam deles, se há um pós-venda eficiente, quanto tempo eles demoram para entregar o produto, como funciona suas estratégias de divulgação, como veem o mercado em que atuam e o que preparam em termos de inovação.

4 – Não oferecer um diferencial para o seu produto ou serviço

Seu empreendimento pode até oferecer um produto e/ou serviço de qualidade. Mas, e se os seus concorrentes também fizerem a mesma coisa? Como você vai se diferenciar nesse mercado?

Logo, é necessário desenvolver um diferencial (ou vários) para se destacar diante de seus rivais. Ele não precisa ser necessariamente no preço (desde que seu produto não seja absurdamente mais caro, claro), mas em outros fatores que agreguem valor: um pós-venda eficiente, bom suporte, funcionários capacitados, entrega no prazo, um programa de fidelidade e dúvidas dos clientes respondidas de forma rápida são boas formas de mostrar que sua empresa está um passo à frente.

5 – Deixar o planejamento financeiro para depois

Muitas novas empresas, na ânsia de vender e ganhar mercado, acabam deixando o planejamento financeiro de lado em um primeiro momento. Erro grave. Isso porque, ao desconhecer o quanto recebeu e quanto gastou, o empreendedor pode comprometer o fluxo de caixa do seu negócio e transformar possíveis lucros em prejuízo.

Logo, a gestão financeira precisa ser umas prioridades em seu empreendimento. Controle rígida e detalhadamente receitas, despesas, taxas e tributos, as previsões de receitas futuras, os investimentos e o lucro líquido. Também é recomendável montar duas planilhas: uma com projeções em um cenário otimista e outra em um ambiente mais pessimista. Dessa forma, você poderá se planejar e conduzir o rumo do seu negócio de forma mais precavida.

6 – Confundir o caixa da empresa com o caixa pessoal

Na correria que é tocar um novo negócio, muitos empreendedores acabam se esquecendo de separar o que deve ser usado para pagar as despesas da empresa e o que deve ser usado para pagar as contas pessoais. Com isso, o dinheiro usado para pagar um fornecedor ou o salário de um funcionário é o mesmo utilizado para quitar uma conta de luz ou a escola dos filhos. Com: o empresário corre o risco de calcular erroneamente os resultados operacionais, já que as despesas ficam inflacionadas, o que pode impactar o preço final do seu produto ou serviço.

Logo, para não cair nessa cilada, estipule o valor de pró-labore necessário que você vai retirar ao final de cada mês e já transfira o valor para sua conta pessoal. Com isso, você separa os gastos, mantém o caixa estruturado e garante que sua empresa cresça de forma sustentável.

7 – Calcular lucro e preço de formas equivocadas

Não é anormal novos negócios começarem de forma acelerada, com ótimas vendas e, mesmo assim, o resultado ao final do mês indicar um prejuízo. Muitas vezes, isso acontece porque o empreendedor não soube calcular da forma ideal o preço do seu produto e a margem de lucro que ele deveria ter.

Logo, é essencial que você aplique a técnica certa para definir margens de lucro e preço de produto e/ou serviços. O ideal é uma boa conversa com seu Contador para definir os valores, baseado em todas as variáveis.

8 – Deixar marketing e divulgação em segundo plano

Abrir uma empresa e não investir em marketing e divulgação é como abrir uma loja em uma rua sem saída e escondida e esperar que ela vire um sucesso por combustão espontânea. Em outras palavras, se você não investir na exposição do seu empreendimento, as chances de que ele fracasse aumentam exponencialmente. Por melhor que seja o seu produto e/ou serviço.

Portanto, uma boa estratégia de marketing e divulgação é obrigatório em negócios de qualquer porte. Para fazer com que ela seja certeira, o fundamental é entender quem é o seu cliente em potencial. Se ele for um consumidor com hábitos digitais, invista em conteúdos e divulgação em social media, por exemplo. Mas se ele tiver hábitos mais, digamos, analógicos, invista em uma divulgação mais offline, com anúncios estratégicos e uma boa assessoria de imprensa. Enfim, o céu é o limite para que você divulgue os diferenciais da sua empresa.

Com todas essas dicas, garantimos que o seu empreendimento tem boas chances de ser um sucesso por um longo tempo. Desejamos o melhor nessa sua nova jornada!

E este conteúdo foi útil para você? Deseja receber outros materiais relacionados? Basta preencher o nosso cadastro logo abaixo.

Você também pode gostar: 8 profissionais que todo empreendedor vai conhecer ao abrir uma empresa


Compartilhe

Deixe seu comentário