Alô, quem fala? Relembre 5 coisas que você só fazia ou ainda faz com o seu telefone fixo

0

O telefone, que hoje conhecemos como celular, foi inventado há 140 anos pelo escocês e professor da Universidade de Boston, Alexandre Graham Bell. O objetivo do professor, na verdade, era criar um aparelho que melhorasse a qualidade de vida dos deficientes auditivos.

Ao fazer seus experimentos e identificar que as vibrações de som se modificavam para ondas eletromagnéticas e que podiam ser transmitidas através de um fio, criou o aparelho que daria início à história das telecomunicações no mundo.

Em 1876, mesmo ano em que o aparelho foi patenteado, nosso então imperador D. Pedro II, em visita aos Estados Unidos, apaixonou-se pela invenção revolucionária e trouxe algumas unidades, as quais só foram instaladas 2 anos depois com a criação da primeira Companhia Telefônica do Brasil.

Das companhias telefônicas, o aparelho popularizou-se e tomou conta dos lares em todo o mundo, inclusive dos nossos no Brasil. Mas na década de 90 para cá, ele tem perdido espaço para um “irmão moderno” que ficou pop pelo nome de celular e hoje você pode chamá-lo de smartphone que ele atende.

Mas e você, ainda atende o “fixo” tão querido de tempos atrás ou nem se move quando ele toca? Ele ainda toca? Fato é que ficamos sabendo que alguns sobreviventes daquela era, ainda ressoam em alto e bom som quando:

  • A moça do telemarketing da operadora liga para oferecer planos.
  • A pizzaria resolve ligar para confirmar a entrega.
  • O banco resolve lembrar você daquela fatura que ainda não foi paga.
  • Algum desocupado/apaixonado liga para ouvir sua voz e ficar mudo.
  • Aquela tia do interior liga no Natal.

Se o sobrevivente que ainda reside em sua casa, cumpre ou não com essas funções, pouco sabemos. O que sabemos de fato, é que uma função muito importante que você pode fazer com o “irmão moderno”smartphone, é assinar documentos através do Mobile ID sem precisar sair de casa. Afinal, se você sair de casa, alguém ainda pode ligar, saiba mais!

Compartilhe

Deixe seu comentário