Malha fina: não está no último lote do IR 2016? Veja o que fazer

0

Sabe aquela alegria de saber que a restituição do Imposto de Renda já foi liberada (e provavelmente já foi utilizada para pagar alguma conta)? Quem ainda não viveu isto este ano deve ficar atento, pois o último lote do IRPF sairá em 15 de dezembro e quem não for contemplado terá de fazer uma visita à nossa amiga Receita Federal, porque caiu na malha fina.

Motivos da Malha fina

Muitos fatores podem fazer com que o contribuinte caia na malha fina, como todo Contador bem sabe. Mas como lidar com o desespero/acusação do cliente nesta hora? Com paciência. Muitos não entendem como o Imposto de Renda funciona e caberá a você, meu caro Contador, explicar a situação.

Se possível, vá com seu cliente à Receita Federal verificar o que aconteceu. Muitas vezes o órgão só quer verificar a veracidade do que foi declarado, principalmente em casos de valores altos.

Outras vezes, o cliente repassou informações incorretas ou esqueceu de informar a aquisição de um carro novo ou aquele dinheiro extra que recebeu durante 2015 – dinheiro este que saiu de algum lugar e foi informado, ou por quem fez o repasse ou mesmo pelos próprios bancos, que declaram anualmente o que entra e sai de cada conta.

O primeiro passo a ser adotado é entrar no site da Receita Federal para verificar qual é a pendência ou inconsistência encontrada pelo Fisco na declaração do IR de 2016. Você sabia que agora é possível retificar e inclusive ter acesso ao imposto de renda usando o Certificado Digital pelo celular? Veja como é Fácil:

Se for este o caso, tome mais uma dose de paciência para explicar ao cliente que informações que chegaram até você incorretas não são de sua responsabilidade, mas sim dele, afinal, uso de quiromancia não faz parte dos serviços contábeis habituais. Ou seja, não há bola de cristal embutida no rascunho do IRPF.

Não teve motivos para cair na malha fina?

Os contribuintes que caíram na malha fina, mas não encontraram erros na declaração, devem aguardar ser chamado pelo Fisco para apresentar os documentos que comprovem que a declaração foi feita corretamente. Neste caso, não é preciso mandar uma declaração retificadora.

Vale lembrar que o próprio cliente tem acesso à informação sobre a sua restituição do IRPF 2016, podendo acessá-la pelo seu smartphone, assim como pode assinar documentos utilizando o Certificado Digital pelo Mobile ID, facilitando processos que antes seriam mais demorados.

Acessar o Portal do e-CAC com apenas um toque na tela do celular ou tablet já é uma realidade ao alcance de todos. Modernize o seu modo de assinar documentos Conheça o MobileID.

Compartilhe

Deixe seu comentário