Micro e pequenas empresas optantes pelo simples nacional podem crescer sem medo

0

No dia 28 de outubro, foi publicada, no Diário Oficial da União, a Lei Complementar nº 155, que traz alguns benefícios para as micro e pequenas empresas optantes pelo simples nacional, sendo eles:

O limite para a microempresa ser incluída no Simples Nacional passa de R$ 360 mil por ano para R$ 900 mil; haverá uma faixa de transição de até R$ 4,8 milhões de faturamento anual para as empresas que estourarem o teto de R$ 3,6 milhões; e para quem é microempreendedor individual (MEI), o teto de receita passa de R$ 60 mil para R$ 81 mil por ano.

Além disso, as empresas inadimplentes poderão contar com o parcelamento especial de 60 para 120 meses, com redução de juros e multas: o valor mínimo das prestações será de R$ 300 para as micro e pequenas empresas e de R$ 150 para os MEIs.

A nova lei cria ainda a Empresa Simples de Crédito – ESC que pode regular os chamados ‘investidores-anjo’, os quais utilizam recursos próprios, muitas vezes reunidos em grupo, para financiar startups e negócios principiantes. Tais investidores não responderão por qualquer débito da empresa, mesmo que as dívidas resultem em falência.

Contador, a Certisign te ouviu e acaba de lançar um programa com novas vantagens financeiras para você. Venha para o Clube do Contador Certisign ou ligue para (11) 3546 3800.

Compartilhe

Deixe seu comentário