Novas tecnologias e a participação do pai na educação

0

O dia dos pais nos direciona para homenagearmos uma das pessoas mais importantes em nossas vidas.

Neste dia de 2015, escolhemos um tema que torna essa homenagem ainda mais consciente e verdadeira: a participação do pai na educação dos filhos.

Com os dados a seguir, você vai perceber porque isso alimenta ainda mais, nossos esforços para oferecermos serviços e produtos que tornem a vida de mais pessoas, mais prática e segura.

Segundo o relatório da “Situação da Paternidade no Mundo”, feito pelo Instituto Promundo, 80% dos homens no mundo serão pais biológicos e praticamente, em algum momento da vida, terão alguma conexão com uma criança. O diretor executivo internacional da organização não governamental (ONG), Gary Barker, ressaltou que a participação masculina resulta na possibilidade de as mulheres participarem mais do mercado de trabalho.

O documento reúne vários dados globais sobre o tema da participação masculina. Lançado na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, foi apresentado no Brasil durante o 3º Seminário Internacional Marco Legal da Primeira Infância, na Câmara dos Deputados.

O estudo mostra ainda, que a presença do pai durante a gravidez e após o nascimento do filho incentiva as mulheres a buscarem os serviços de saúde materna e neonatal. Com relação às crianças, Barker afirma: “Todos os indicadores que a gente olha em termos de desenvolvimento infantil melhoram quando tem um segundo cuidador além da mãe”, Além dos benefícios no desenvolvimento infantil, algumas mulheres comprometidas com a carreira profissional individual, lutam para que essa maior participação contribua com a maior divisão da tarefa, possibilitando que a mãe possa melhor dividir seu tempo entre os cuidados na infância e a profissão.

Essas mudanças também têm viabilizado relações mais afetivas e acessíveis entre pais e filhos, desmistificando a idéia de que amor e cuidados infantis partem exclusivamente da mãe.
Com relação à legislação brasileira, o estudo revela que entre os obstáculos para um maior envolvimento estão questões jurídicas e legais. Uma delas é a licença-paternidade que, para os homens, atualmente, é cinco dias.

Segundo artigo do Instituto de Psicologia da USP, isso perpetua de forma institucionalizada a idéia de que a mãe é a cuidadora e o pai o provedor, mas não atende a demanda de todas as famílias e visões de psicólogas.

Independente das visões existentes, o que parece comum entre todos é a necessidade de mais tempo para a presença com os filhos. Aproveite a compreensão da importância disso e veja como a assinatura digital que oferecemos pode proporcionar mais tempo livre para todos.

Um dia dos pais cada vez mais consciente e afetuoso para todos!

ECONOMIZE NA CRISE: desconto de até 40% nas principais lojas virtuais. Veja como é fácil aderir.

Fonte: Instituto de Psicologia da USP, EBC e Certisign.

Compartilhe

Deixe seu comentário