Pesquisa revela que 70% das pessoas estão preocupadas com o Cibercrime

0

A tecnologia está cada vez mais atrelada ao comportamento humano, segundo informações da pesquisa “Proteção do Futuro Digital em 2025”, divulgada pela McAfee. Foram consultadas 8 mil pessoas em diferentes países em relação às novas tendências, estilo de vida quanto a tecnologia e segurança na web.

No Brasil, a pesquisa ouviu aproximadamente 500 consumidores, estes acreditam que a tecnologia tende a melhorar cada vez mais e desta forma poderão ter uma experiência melhor ao gerenciar seus lares e trabalho.

Porém, no geral, cerca de 70% dos entrevistados estão preocupados com a segurança na rede, conhecido como Cibercrime. No Brasil, 49% dos consultados estão receosos com o roubo de identidade e fraude monetária, enquanto que 31% se preocupam com a violação da privacidade.

A boa notícia é que é possível se proteger do Cibercrime com algumas medidas de segurança na web. Veja as dicas de Mauricio Balassiano, Diretor de Tecnologia da Certisign, especialista em Segurança Digital.

  1. Ao acessar um site, mesmo que seja de uma empresa conhecida, confira a URL. Use um site de busca verifique se existe mais de um endereço.
  2. Verifique se a página possui Selo de Segurança. Este é o único Selo que atesta que o site é confiável para transações e inserções de dados.

2.1. Se sim, clique sobre o Selo de Segurança, que geralmente fica fixado no rodapé da página do site e verifique se o Certificado Digital foi emitido para o mesmo endereço web da página que você está.

  1. Verifique se existe um cadeado fechado na barra do navegador.
  2. Observe se existe a letra “S” no endereço do site, ou seja, HTTPS.

“Estes são os sinais dos sites protegidos pelo Certificado Digital SSL, que criptografa as informações em tráfego e atesta a legitimidade da empresa que oferece o serviço. Garantias necessárias e fundamentais para finalização de compras e inserção de dados pessoais na Internet”, explica Balassiano.

Sobre os Selos de Segurança, o especialista completa: “É preciso ter atenção. É importante clicar e verificar se por trás daquela imagem existe, de fato, um Certificado Digital válido emitido por uma Autoridade Certificadora reconhecida e confiável”, complementa.

Fonte: TI Inside com informações Certisign

Compartilhe

Deixe seu comentário