Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) adere à Certificação Digital no Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal

0

A Certisign ampliou a parceria com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Agora, a instituição utiliza também a Certificação Digital Certisign integrada ao Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) para a desmaterialização de processos do Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal.

Anteriormente, desde 2011, somente a Diretoria de Controle Contábil utilizava Certificados Digitais. Com a integração ao PEP, todos os setores da PMDF passarão a utilizar a tecnologia – totalizando 504 profissionais.

Entenda o PEP
O PEP é a integração de todos os prontuários médicos e odontológicos de um paciente em um único sistema que, quando utilizado com Certificado Digital, elimina totalmente o uso do papel. Ou seja: o PEP é a única solução que possibilita registrar informações médicas, autorizar exames, liberar resultados, autorizar internações e armazenar receitas médicas eletronicamente, com a possibilidade de acompanhamento de todas as informações e sem a necessidade de impressão.

“Na prática, o uso do PEP reduz custos operacionais, agiliza processos e ainda preserva as informações dos pacientes. Todo o histórico fica sistematizado e disponível para consultas. Sem contar os benefícios relacionados ao meio ambiente, pois todos os documentos tornam-se eletrônicos e, portanto, são armazenados da mesma maneira”, afirma Julio Cosentino – vice-presidente da Certisign.

Mais segurança e agilidade
Para o Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal, a utilização de Certificados Digitais permitirá a adequação ao Sistema de Registro Eletrônico em Saúde da PMDF ao Nível de Garantia de Segurança 2 (NGS2) preconizado pela Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) e exigido pelos Conselhos Federais de Medicina e Odontologia (CFM e CFO).

Cerca de 136 mil prontuários médicos e odontológicos, contendo aproximadamente sete milhões de folhas de papel, foram digitalizados seguindo a resolução 1821/2007 do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Esta resolução aprova as normas técnicas concernentes à digitalização e uso dos sistemas informatizados para a guarda e manuseio dos documentos dos prontuários dos pacientes, autorizando a eliminação do papel e a troca de informação identificada em saúde, desde que, entre outros processos, a documentação seja assinada com Certificado Digital ICP-Brasil.

Com a digitalização assegurada pelo uso da Certificação Digital, uma área de 200 metros quadrados com estantes abarrotadas de prontuários foi reduzida à apenas 105 gigabytes de dados. “Além da liberação do espaço temos segurança no armazenamento destes prontuários, pois a digitalização permitiu que criássemos uma redundância que seria absolutamente inviável com o uso de cópias em papel”, explica o Tenente Coronel Alexandre Saud, Chefe do Núcleo de Tecnologia da Informação, do Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal da Polícia Militar do Distrito Federal.

“Antigamente um auxiliar demorava pelo menos 15 minutos para trazer um prontuário ao médico. Isto agora é feito em segundos. Na área administrativa, no mínimo, um documento era impresso, assinado, carimbado, escaneado, tramitado na intranet e depois enviado fisicamente. Com o uso dos Certificados Digitais, o documento será assinado digitalmente e tramitado apenas na esfera eletrônica”, complementa Saud.

Relacionadas:

Processos na área de saúde de Vitória, agora, são 90% digitais

Assinatura digital reduz custos em até 30% e agiliza processos

Compartilhe

Deixe seu comentário