Símbolos históricos da Contabilidade

1

A Contabilidade acompanha a história das civilizações mais antigas da humanidade, e, por este motivo, alguns símbolos que atualmente representam a profissão datam de muitos séculos atrás. De acordo com informações do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), os três principais símbolos associados à atividade milenar são o Caduceu, o Anel e São Mateus, santo considerado o padroeiro da Contabilidade.

Conheça um pouco da simbologia por trás desses elementos:

Caduceu é um bastão de ouro utilizado pelo deus romano Mercúrio, que tem duas serpentes entrelaçadas, adornado por um elmo, que é um escudo, e um par de asas. Mercúrio é considerado o deus da eloquência, do comércio, dos viajantes, ou seja, a personificação da inteligência.

O bastão simboliza o poder daquele que domina a Ciência Contábil e, por meio deste conhecimento, zela pelo patrimônio de todas as empresas; as serpentes representam a sabedoria; já o elmo significa os pensamentos elevados e a proteção contra qualquer intenção de ações desonestas; e o par de asas, por sua vez, simboliza a diligência do profissional que exerce a Contabilidade.

O Anel característico do contabilista também é repleto de simbolismos e atribuições a este profissional. De acordo com o CFC, este artefato é ornado por uma Turmalina Rosa Clara ladeada de Diamantes. Em cada um dos lados do aro deste anel estão gravadas a imagem do Caduceu de Mercúrio e das Tábuas da Lei, juntamente com a inscrição da legenda “LEX”. Acredita-se que a escolha desses elementos associa o contador a um guardião de riquezas, protetor do patrimônio por meio da informação ágil e de sua interpretação, e grande conhecedor de uma ciência complexa, baseada na razão.

São Mateus, o padroeiro da profissão, foi um Contabilista que atuava como cobrador e arrecadador de tributos na Antiguidade. O ato de cobrar impostos não era bem visto pela sociedade da época, e, por essa razão, quem exercia essa atividade era considerado pecador. Nascido na província romana de Cafarnaum com o nome de Levi, ele exercia seu ofício nas imediações das principais rotas comerciais da Palestina. Em uma de suas peregrinações Jesus Cristo o viu e escolheu como um dos doze apóstolos. Muito rico e inteligente, após sua conversão, Mateus deixou tudo e aceitou o convite, vindo posteriormente a ser autor de um dos evangelhos.

Relacionadas:

O papel do Contador nas leis de Incentivos Fiscais e Culturais

Mulher contabilista: ascensão histórica

Pesquisa revela: Contador é uma profissão em alta

Compartilhe

1 Comentário

  1. Pingback: São Paulo, berço da Contabilidade, completa 461 anos | Certisign Explica

Deixe seu comentário