Tecnologia é papo de mulher também. Basta ela querer.

0

Ser mulher é uma batalha diária. Ser uma mulher que gosta e entende de tecnologia, ou que simplesmente gostaria de entender, é uma batalha diária extra. Seja pela falta de exemplos a serem seguidos, pelo sexismo que domina a área e pelos estereótipos com máximas do tipo “este é um lugar para homens”.

Estudos e pesquisas mostram como é a situação das mulheres quando se trata de tecnologia. A Elephant in the Valley, pesquisa que retratou a realidade feminina no Vale do Silício – considerado o maior oásis tecnológico do mundo – traz dados impactantes: 66% das mais de 200 mulheres com mais de 10 anos de experiência no setor já se sentiram excluídas por justificativas de gênero, 60% já foram assediadas e 60% das assediadas não foram assistidas da forma mais justa.

Hoje, apenas 15,53% dos alunos nos cursos relacionados à Tecnologia da Informação são mulheres, sendo que 79% delas desistem no primeiro ano e 41% das que já trabalham com tecnologia, deixam a área. É preciso refletir sobre o motivo de isso acontecer – visto que a mesma pesquisa indica que 74% das meninas demonstram interesse em Ciências, Tecnologia e Matemática – e lutar, independente do seu sexo, para que não continue acontecendo.

É com essa perspectiva de pensamento de igualdade de direitos e oportunidades, que surgiu o PrograMaria, um meta-site sobre mulheres e tecnologia que consolida pilares de empoderamento feminino nas plataformas do mundo digital e que modificam consequentemente o mundo real.

Atitudes como as do PrograMaria contribuem para a motivação de meninas e mulheres que não se sentem confiantes em seguir adiante no mundo tecnológico, incentivam o debate sobre a falta de mulheres no setor da programação e do empreendedorismo e promovem oportunidades de aprendizagem e perseverança.

Junto ao PrograMaria, surgiu a campanha #SerMulherEmTech, que, como uma companheira da causa, empodera mulheres que estudam ou trabalham no setor tecnológico e torna suas dificuldades diárias e as situações absurdas que passam em histórias que precisam ser compartilhadas, mas não devem ser repetidas.

Conheça abaixo o caso de 3 mulheres que trabalham em cargos tecnológicos:

Cristina Ruiz (Coordenadora de Análise e Planejamento)
crisQual a importância para as mulheres aumentarem a presença em cargos de inovação tecnológica?
R: Entendo como um desafio muito grande e gratificante para uma mulher atuar em cargos de inovação tecnológica, uma vez que chegam ao topo, mesmo que ainda representem um número muito pequeno em comparação ao universo masculino mas que tem crescido nos últimos anos.

Quais os principais obstáculos para que isso ocorra?
R: Uma metáfora para definir aquilo que a mulher enfrenta no campo profissional é a do labirinto, como um símbolo contemporâneo, transmite a ideia de uma jornada complexa rumo a uma meta digna do esforço. Cruzar um labirinto não é algo simples nem direto, exige persistência, consciência do próprio progresso e uma análise atenta das dificuldades mais à frente.

Qual fator foi decisivo na sua carreira para escolher essa profissão?
R: Iniciei minha profissão no ramo da contabilidade, mas ainda não estava satisfeita com o que essa profissão estava me proporcionando, no decorrer do tempo a insatisfação só aumentava e por outro lado a área da tecnologia estava crescendo e foi então que passei a me interessar pelo assunto, pesquisando grades de cursos universitários que me identificava.

Maria Tereza Aarão: (Diretora de Inovação)
tekaa-okQual a importância para as mulheres aumentarem a presença em cargos de inovação tecnológica?
R: Nosso universo tecnológico precisa de inovação. E para inovar precisamos de uma visão abrangente sobre a vida e as necessidades das pessoas e das empresas. Times com homens e mulheres são mais ricos que times só de homens ou só de mulheres. É por isto que é importante envolver mais mulheres nos times de inovação.

Quais os principais obstáculos para que isso ocorra?
R: Mais mulheres abraçarem profissões técnicas e intelectuais. Nas duas últimas décadas um número menor de mulheres optou pelo estudo de ciências e tecnologia. É preciso mudar isto e enxergar que o futuro do ser humano é o trabalho intelectual e científico. Do ponto de vista das empresas é preciso valorizar a diversidade e a riqueza de diferentes perspectivas.

Qual fator foi decisivo na sua carreira para escolher essa profissão?
R: A percepção de que trabalhar com ciência e tecnologia é estar sempre aprendendo, estudando, se aprimorando.

Patrícia Tertuliano (Gerente de Normas e Gestão de PKI)
patricia-22Como você acha que se configura sua luta por igualdade de gênero no poder? Qual mensagem de estímulo deixaria para outras mulheres?
R: A cada dia estamos construindo uma sociedade mais igualitária para todos. Empresas de tecnologia como a Certisign, eminentemente masculinas, já tem mulheres em sua estrutura de poder.

Qual a importância para as mulheres aumentarem a presença em cargos de inovação tecnológica?
R: A área de inovação por natureza já é de disruptura. Creio ser o celeiro ideal para mudanças também na gestão, como a liderança feminina, prosperarem.

Aproveite o momento de inspiração e reflexão no Dia Internacional da Mulher e experimente assinar contratos digitalmente. Veja o vídeo:

 

  Com o Portal de Assinaturas Certisign você torna sua vida mais fácil, como deveria ser a realidade de todas as mulheres. Você pode assinar documentos digitalmente com a mesma validade jurídica e com o conforto que você merece, independente do gênero que você representa.

Fonte: www.thinkolga.com / Programaria

Compartilhe

Deixe seu comentário